Precisamos de sua ajuda para manter nossas atividades.
Atualmente, além das inúmeras despesas fixas, são também centenas de metas, projetos e desafios a conquistar que dependem de sua colaboração direta. Escolha abaixo como pode nos ajudar:

Ação voluntária

Atue junto aos núcleos, participe de cursos, panfletagens, manifestações e divulgue a doutrina para outras pessoas.
Ação voluntária
OU

Contribuição financeira

Ajude a manter nossos projetos. Para colaborações financeiras, escolha aqui a opção mais adequada a você: boleto ou depósito.
Colabore



Posição sobre o governo interino do Brasil

No último dia 12 de maio, celebramos a saída de Dilma Rousseff e do autoproclamado Partido dos Trabalhadores da Presidência da República. Esperamos que esta saída seja definitiva, pondo termo ao criminoso projeto de poder há decênios acalentado pela camarilha petista e ao seu longo desgoverno, essencialmente amoral, corrupto, demagógico e contrário às tradições cristãs da Nação Brasileira, ao Bem Comum e aos legítimos interesses nacionais.

Não é necessário dizer que algumas diferenças profundas nos separam, no campo doutrinário, do Presidente em exercício de nosso País, o Sr. Dr. Michel Temer, que é, aliás, maçom grau 33. Estamos certos, porém, de que ele está muito mais bem preparado para o exercício do governo da Nação do que a Sra. Dilma Rousseff e de que está realmente disposto a reconduzir o Brasil aos caminhos da ordem, da segurança e do desenvolvimento social e econômico, assim como a unir os brasileiros, enfrentando duramente, se necessário for, os autointitulados “movimentos sociais” propagadores do ódio, da luta de classes e da desagregação moral, bem como as ditaduras e demais desgovernos socialistas e “bolivarianos”, que acusam de ser um golpe de Estado o legítimo e legal processo de impeachment  ora em curso no Brasil.

Como cristãos e propugnadores do Direito Natural Tradicional, ou Clássico, esperamos que o governo interino não tome nenhuma medida que contrarie a Lei e a Ordem Natural, lamentando o fato de a Sra. Dra. Flávia Piovesan, feminista e abertamente abortista, haver sido nomeada Secretária de Direitos Humanos do Ministério da Justiça pelo Presidente Interino Michel Temer.

Como patriotas e nacionalistas na acepção justa e construtiva do vocábulo, esperamos que o governo interino seja menos subserviente aos interesses do grande capital financeiro internacional do que os governos que o precederam, e, ao contrário dos desgovernos petistas, realize uma política externa justa, prudente, responsável e pautada pelo bem da Nação e do Estado e não por interesses ideológicos e partidários.

Como municipalistas, esperamos que o Presidente Interino Michel Temer consiga realizar sua intenção, proclamada no discurso de posse,[1]  de conceder mais autonomia ao Município e de robustecê-lo, conscientes de que o Município, célula mater da Nação, nasceu autônomo em nosso País, ainda no início da ocupação de nosso território, sob a égide das Ordenações do Reino de Portugal, como escreveu o próprio Michel Temer, cumprindo assinalar que, durante a vigência das referidas Ordenações, legislaram nossas câmaras municipais sempre de acordo com os usos e costumes e consoante as necessidades locais.[2]

Como defensores dos princípios da Doutrina Social da Igreja e do Distributismo, esperamos que o Primeiro Magistrado em exercício da Nação, longe do erro do estatismo e resistindo ao canto de sereia do liberalismo, consiga realizar seu intento, igualmente proclamado no discurso de posse, de promover o desenvolvimento nacional  pela efetiva colaboração entre o Estado e a iniciativa privada, de acordo com os ditames do princípio de subsidiariedade.

Tendo feito referência, por duas vezes, ao discurso de posse do Sr. Dr. Michel Temer, consideramos ser mister assinalar que, ao ouvir tal discurso, verificamos que, depois de dois presidentes da República que não falavam corretamente o idioma português, finalmente voltamos a ter um que o fala. Isso é, com efeito, algo de suma importância para o prestígio do nosso Brasil no concerto das nações, sendo oportuno ressaltar que a língua não é apenas um elemento essencial, vital do Caráter Nacional, mas também “o espelho de uma Nação”, como bem aduziu Schiller.[3]

Isso posto, faz-se mister enfatizar que, além de falar escorreitamente o idioma de Camões, Fernando Pessoa e Machado de Assis, é o Sr. Dr. Michel Temer um poeta e, em algumas das melhores passagens de sua obra Anônima Intimidade,[4] um inspirado poeta, ainda que longe esteja de poder ser considerado um grande poeta.

Não podemos concluir estas linhas sem salientar que, infelizmente, é provável que não vejamos realizada a maior parte de nossas esperanças acima listadas e sem enfatizar que o PMDB, partido do Sr. Dr. Michel Temer, é um partido, no mínimo, quase tão corrupto quanto o PT e só rompeu com o desgoverno Dilma por oportunismo, ao constatar que a esmagadora maioria da população brasileira o rejeitava. O próprio Michel Temer, em verdade, chegou a se declarar contrário à abertura do processo de impeachment ora em curso, tendo mudado de opinião pouco depois, ao notar que a maior parte do nosso povo era favorável ao impeachment de Dilma Rousseff.

Havendo feito referência à corrupção e à imoralidade do partido do Presidente Interino Michel Temer, reputamos necessário frisar que a corrupção e a imoralidade são marcas da maior parte, se não da totalidade dos partidos políticos do Brasil, cabendo a todos os verdadeiros patriotas e nacionalistas o dever de combater a partidocracia e os partidos fracionadores, parasitários e exploradores da Nação.

Encerremos estas linhas. Continuaremos fazendo nossa a máxima do General Osório no sentido de que se deve “servir à Pátria, qualquer que seja o seu governo”,[5] bem como a máxima do Tenente Siqueira Campos segundo a qual “à Pátria tudo se deve dar, sem nada exigir em troca, nem mesmo compreensão”.[6] Da mesma forma, apoiaremos o governo interino do País em tudo aquilo que este fizer de bom para o Brasil e o seu Povo, assim como o combateremos em tudo aquilo que fizer de prejudicial à Pátria e à Grei Brasileira, sublinhando que o governo Temer, faça o que fizer, jamais realizará as profundas mudanças de que esta Nação necessita para volver aos alicerces morais de seu nascimento, retomar o curso de sua caminhada histórica e se tornar o Grande Império não apenas do passado e do porvir, mas também da hora presente.

Por Cristo e pela Nação!


Victor Emanuel Vilela Barbuy,
Presidente Nacional da Frente Integralista Brasileira,
São Paulo, 20 de maio de 2016-LXXXIII.



Notas:
[1] Discurso de posse do Presidente Interino Michel Temer. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1770780-leia-integra-do-discurso-de-posse-do-presidente-interino-michel-temer.shtml. Acesso em 18 de maio de 2016.
[2] Elementos de Direito Constitucional, 12ª edição, revista e ampliada, São Paulo, Malheiros, 1996, pp. 104-105.
[3] Deutsche Größe, 432. Citamos de memória.
[4] Anônima Intimidade, Rio de Janeiro, Topbooks, 2012.
[5] Citamos de memória.
[6] Citamos de memória.complete aqui com as informações a mostrar.


21/05/2016, 15:13:25



Posição sobre o governo interino do Brasil | - Integralismo | Frente Integralista Brasileira ..