Ocorreram, entre 22 e 25 de maio, eleições para a renovação do parlamento europeu. O resultado deste pleito é de fundamental importância para os nacionalistas do mundo inteiro, pois vai mostrar a força dos nossos companheiros em todo Velho Continente De fato, pesquisas mostram que movimentos nacionalistas devem conseguir até 30% das cadeiras no parlamento. Entretanto, esses partidos espalhados por toda a Europa são muito heterogêneos, indo desde os moderadíssimos ingleses do Partido da Independência do Reino Unido – apontados pelas pesquisas como os prováveis vencedores destas eleições, com algo entre 30 e 40% dos votos britânicos – até os radicais gregos do Aurora Dourada, que devem conseguir algo em torno de 10 a 15% dos votos em seu país.

Também estão concorrendo nessas eleições movimentos amigos da FIB, principalmente o NATION na Bélgica francófona – além de eleições para o Parlamento Europeu a Bélgica também está tendo eleições em todos os níveis – e o Movimento Social Republicano – MSR – na Espanha. Entre tantos movimentos nacionalistas existentes nesses países, temos relações privilegiadas com ambos em decorrência da semelhança com a visão de mundo da FIB, ou seja, de um nacionalismo permeado de valores espirituais e preocupações sociais. Embora até o momento sejam poucos os eleitos por ambos os movimentos, a participação deles em eleições de todos os níveis já é uma vitória quando percebemos as gigantescas forças do sistema globalista que tentam sufocar os movimentos nacionalistas europeus. Da mesma maneira que no Brasil, em que a legislação eleitoral é cada vez mais restritiva para impedir a participação de legendas que possam se opor ao sistema, belgas e espanhóis também necessitam realizar esforços muitas vezes heroicos para apresentar candidaturas cujas campanhas se restringem a divulgação de panfletos, colagem de cartazes, comícios e campanhas boca a boca.

LEIA TAMBÉM  Fidel Castro está morto!

Portanto, nós integralistas não podemos senão declarar o nosso apoio a esses movimentos amigos em um momento importante para eles, sabedores que o triunfo de uma concepção de mundo semelhante à nossa na Europa não deixará de ter reflexos positivos para a FIB no Brasil.

Alexandre Villacian
Um dos dirigentes do núcleo de Curitiba (PR), Alexandre é também coordenador da Secretaria de Relações Internacionais da Frente Integralista Brasileira.