Neste dia 16 de Junho de 2021, a empresa estadunidense Facebook Inc. removeu de suas plataformas contas ligadas à Frente Integralista Brasileira e também desativou milhares de contas de usuários reais vinculados ao nosso movimento. Não sabemos até o momento se a ação atingiu usuários de outras organizações ou movimentos.

Diversos membros, todos com perfis lícitos, informações verdadeiras e seguindo todas as práticas determinadas (e reconhecida pelos usuários) — alguns com mais de uma década de existência — (nomes reais, informações e fotografias reais) acionaram o recurso de reativação das contas, anexando documento digitalizado. A resposta obtida (sem qualquer tempo para análise de documentos) foi para todos os casos que a suspensão não poderia ser revertida.

Para alguns casos a conta foi desativada em definitivo, sem direito a recurso como envio de documentos ou mais informações.

Tendo desde sua criação o conhecimento de que esta “plataforma” e similares são apenas software de publicidade alimentado com conteúdos e informações particulares, nunca consideramos as “redes sociais” como meio prioritário de comunicação para nosso movimento. 

Em razão disso, jamais fizemos divulgação de todos os nossos atos, pensamentos, debates e decisões nestas plataformas, pois sempre as classificamos como inseguras em diversos aspectos. Representam riscos à segurança pessoal, à segurança de nossas instituições, à liberdade e ao direito brasileiro e inclusive à segurança nacional. 

Nos últimos anos, em todo o mundo, organizações diversas e figuras públicas relevantes foram banidas desta e de outras plataformas com o argumento de que violaram políticas e termos de uso — alterados a todo o momento por conveniência econômica e publicitária pelos burocratas da Califórnia, a fim de enquadrar opositores ao pensamento libertário e neo-marxista que domina o Vale do Silício.

Tendo sofrido censura oficial e perseguição por parte do “Estado Novo”, já nas primeiras décadas de existência do movimento, o integralismo, rede social autêntica e orgânica, não foi jamais vencido por forças que nos querem ver de joelhos. A marcha silenciosa seguiu, difundindo nossos princípios e ampliando a influência em toda a sociedade brasileira.

Estes fatos de hoje, tendo ocorrido por decisão deliberada de funcionários ou até mesmo erro de processamento, não encerram nosso trabalho ou propósito, que sempre se mantêm firmes, são anteriores à sua existência e seguirão ao futuro após o encerramento desta “rede social”. 

A ferramenta, que se propõe também a ser um ambiente para negócios, com a suspensão tirou não apenas direitos garantidos pela constituição nacional do país em que atua, como causa danos materiais a membros de nossa organização que a utilizam com finalidade de trabalho.

Informamos ao Facebook Inc. que nenhuma das suas ditas “políticas”, que nos foi disponibilizada ao tentar acessar as contas, foram violadas por nossa organização e que aguardamos os esclarecimentos necessários a este erro ou ato de censura.

Esclarecimento disponibilizado pelo Facebook Inc. para suspensão das contas.

Solicitamos aos companheiros que identificarem esta violação unilateral por parte do Facebook Inc. – aos termos que eles próprios propuseram, que entrem em contato conosco por adm@integralismo.org.br 

Aguardamos os esclarecimentos desta companhia.

Portal Nacional

Inscrever-se!
Acompanhar
guest
2 Comentários
antigo
novo mais votado
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leandro Schenfelder Schneider

Boa noite companheiros! Anauê! Todo o apoio que precisar e só contar!! Eu nao tenho facebook!!ontem, dia 16 eu vi uma.chamada “teste” no canal do Pres. Moises lima!

Vitor Aguiar

Boa noite, meus caros. Mais um absurdo. Espero que não seja necessária a via judicial, mas ela certamente os amparará. Não havia nada nas páginas, tanto da FIB, como dos administradores, que desrespeitasse os termos.
Espero que consigam reverter a decisão o quanto antes.

2
0
Este texto aceita comentários!x
()
x