Primeiramente, necessito expor aqui a minha gratidão de poder participar de um evento como este. De poder integrar a nova diretoria de um movimento histórico de reformulação nacional.

Creio eu que esta gratidão que sinto é também sentida por todos aqui presentes. Afinal, que movimento ou grupo pretensamente nacionalista conseguiria oferecer aos seus, não só uma estrutura tão privilegiada, mas tamanha seriedade e verdadeiro compromisso.

Isso prova o nosso diferencial perante nossos inimigos e detratores. Não ficamos atrás das mesas de redação de jornais na década de 30, e nem ficaremos presos a devaneios atrás de celulares e computadores neste século.

Jamais precisamos nos amparar em figuras caudilhas ultrapassadas, em revoluções de alianças liberais e tampouco em conceitos políticos estrangeiros e espúrios, completamente alheios à realidade do nosso povo e que de nada servem senão para favorecer determinada agenda geopolítica.

Não.

Somos mais que isso. E, como cristão, é meu dever enfatizar a superioridade do Integralismo em relação a qualquer outro modelo organizacional e doutrinário presente em nossa realidade política; principalmente se comparado ao dualismo que tanto trabalha para dividir a nossa sociedade civil e fazê-la valer não mais do que uma moeda, cujas faces são o liberalismo e o comunismo.

Não posso, de maneira nenhuma, deixar de exortar e lutar pelo integralismo, único movimento político genuinamente nacional e também o único que é capaz de frear, através da primazia do Espírito, o avanço materialista que assola o nosso país, especialmente nos tempos sombrios que enfrentamos, de relativização dos valores de nossa pátria, da vida humana e do ordenamento da sociedade a Deus.

Que todos nós, homens de boa fé e determinação, possamos um dia dizer, quando chegada a nossa hora derradeira – e tendo cumprido ou tentado cumprir tudo aquilo que desejamos pela nação – diante de nosso criador, a exemplo de Plínio Salgado: “Senhor, o que me destes eu empreguei da maneira maneira melhor que julguei possível. Aqui estou, Senhor. Eu cumpri o meu dever.”

LEIA TAMBÉM  FIB - MG é refundada e repercute

Pelo bem do Brasil,

Anauê!

Paulo Sales
Tesoureiro Nacional e Membro do Conselho Diretivo Nacional da Frente Integralista Brasileira

Discurso proferido na posse da Nova Diretoria do Movimento, em 14 de março de 2020

Última atualização deste conteúdo em

X